CONTATO: blog.olhares.especiais@gmail.com

sábado, 3 de dezembro de 2016

PRÊMIO GLOBAL RECONHECE, NA ONU, AS MELHORES EMREPSAS PARA TRABALHADORES COM DEFICIÊNCIA

Prêmio Global reconhece, na ONU, as Melhores Empresas para Trabalhadores com Deficiência

No dia 02 de Dezembro, a Organização das Nações Unidas, em Nova York, foi cenário da entrega do Prêmio “Reconhecimento Global Boas Práticas para Trabalhadores com Deficiência”. Realização do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, visou dar reconhecimento público internacional às boas práticas das empresas na inclusão e inserção dos profissionais com deficiência no mercado de trabalho.

O prêmio foi em comemoração ao 10º aniversário da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, importante instrumento jurídico, com status, no Brasil, de emenda constitucional, que garante e amplia direitos ao segmento das pessoas com deficiência. Os finalistas receberão a premiação das mãos da Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Dra. Linamara Rizzo Battistella. 

O objetivo do reconhecimento público é estimular as empresas a aumentar, em seu quadro de profissionais, os trabalhadores com deficiência, por meio de estratégias de criação e manutenção participativa, produtiva e igualitária em seu ambiente de trabalho, com contribuições substantivas no contexto de uma economia forte e sustentável, pautada em valores humanos.

Também na mesma data e local, a Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Dra. Linamara Rizzo Battistella, recebeu o prêmio da United Nations Department for Economic and Social Affairs (UNDESA) e da Global Initiative for Inclusive ICTs (G3ict), iniciativa ligada às Nações Unidas e especializada em estudos, pesquisas e elaboração de protocolos sobre acessibilidade em Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs). 




Dra. Linamara na sede da ONU, em Nova York, EUA.



O prêmio visa reconhecer a liderança e dedicação da Secretária pela promoção dos direitos das pessoas com deficiência frente à Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo e do Centro de Tecnologia e Inclusão (CTI) do Governo do Estado de São Paulo no Brasil.

Ao longo dos últimos oito anos, desde que foi criada, a Secretaria, sob gestão da Dra. Linamara, realiza ações voltadas ao incentivo e desenvolvimento de tecnologias assistivas para a autonomia e independência das pessoas com deficiência, como o VIII Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para Pessoas com Deficiência, o TOM São Paulo, desenvolvimento e exposição de soluções tecnológicas para o dia a dia das pessoas com deficiência, ambos realizados em novembro deste ano, na capital paulista. Além desses, a Secretária criou o Centro de Tecnologia e Inclusão (CTI), localizado nas Fontes do Ipiranga, capital paulista, programa de inovação e desenvolvimento pessoal e profissional voltado para a inclusão de pessoas com deficiência.   



O Centro também oferece cursos de atualização para profissionais que trabalham com órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção, manutenção e cuidado para cadeiras de rodas, além de formação de cuidadores ou atendentes de pessoas com deficiência.


Todas as atividades são gratuitas e voltadas para pessoas com deficiência, cuidadores e familiares, além de profissionais voltados à questão da deficiência e de recursos humanos.
O PRÊMIO
O prêmio de 2016 acontece em meio a uma sessão plenária em homenagem ao décimo aniversário da Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, “10th anniversary of the CRPD: A United Nations Celebration”. Em dezembro de 2006, foi aprovado o texto final do tratado internacional.


Nos 10 anos desde sua adoção, a Convenção foi uma das mais rapidamente ratificadas de todos os tratados de direitos humanos internacionais. Até o momento, mais de 160 países assinaram o documento, incluindo o Brasil que a adotou como emenda constitucional, em 2008, também com apoio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo.

A sessão incluiu dois painéis principais com análise dos dez anos de progresso na implementação da Convenção para alcançar o desenvolvimento inclusivo, acessível e sustentável, na sociedade. Durante a sessão, Dra. Linamara ministrou a palestra "Promovendo os Direitos das Pessoas com Deficiência na Era Digital: Superando Barreiras".

SEGUNDA VEZ
Não é a primeira vez que a Dra. Linamara recebe premiação na sede da ONU. A Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Dra. Linamara Rizzo Battistella, foi selecionada para receber o prêmio internacional “Cidadão Responsável” do International Council For Caring  Communities (ICCC), entregue em 2012, na sede das Nações Unidas, em New York (EUA), durante o evento “Futuros Urbanos”.



Além de receber o Prêmio, na ocasião, a Dra. Linamara foi convidada, como especialista renomada, para fazer uma apresentação durante a Sessão de Trabalho “Futuros Urbanos: Novas Consciências... O Norte encontra o Sul”, durante a 50ª Sessão da Comissão para o Desenvolvimento Social, na sede das Nações Unidas.



Fonte: http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/ultimas-noticias/premio-global-reconhecena-onuas-melhores-empresas-para-trabalhadores-com-deficiencia


domingo, 14 de agosto de 2016

SETEMBRO VERDE DESTACA O MÊS DA INCLUSÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

SETEMBRO VERDE DESTACA O MÊS DA INCLUSÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

No dia 1º de setembro, a partir das 12h30, a Federação das APAES do Estado de São Paulo – FEAPAES-SP, com o apoio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, realiza a cerimônia de abertura do “Setembro Verde”, mês oficial voltado a inclusão social das pessoas com deficiência.

Descrição da Imagem: imagem em fundo branco. No centro da imagem um círculo formado por laços de fita em cores da escala degradê do verde. No centro deste círculo, as figuras dos símbolos internacionais da deficiência tais como um cadeirante, um cego. Também há um desenho do símbolo internacional de homem e mulher. Abaixo a este símbolo, segue a inscrição das palavras: "SETEMBRO VERDE", na cor verde.


O mês oficial da luta pela inclusão da pessoa com deficiência tem como objetivo gerar visibilidade a causa da pessoa com deficiência. Setembro foi escolhido para essa ação em razão do dia 21 ser Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência. Além da comemoração da data, a ação tem o intuito de tornar o mês referência nacional.
 
A cerimônia de lançamento contará com a participação de diversas autoridades, dentre elas a Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Dra. Linamara Rizzo Battistella.
 
Na ocasião, também serão realizados o II Balanço Geral do Programa Estadual de Atendimento à Pessoa com Deficiência Intelectual – São Paulo pela Igualdade de Direitos e a inauguração da exposição “Arte Inclusiva”.
 
A entrada é gratuita, mas é necessário confirmar presença até 18 de agosto, pelo e-mailinstitucional@feapaesp.org.br
 
 
II Balanço Geral do Programa Estadual de Atendimento à Pessoa com Deficiência Intelectual
 
O programa visa apresentar diretrizes para garantia de igualdade de direitos e de oportunidades para as pessoas com deficiência intelectual. Conta com a participação das seguintes Secretarias do Governo do Estado de São Paulo: Saúde; Educação; Desenvolvimento e Assistência Social; Emprego e Relações do Trabalho; Esporte, Lazer e Juventude; Cultura; Justiça e Defesa da Cidadania; Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia; e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência. 
 
Pelo segundo ano consecutivo, a Secretaria apresenta um balanço com as ações de cada Pasta para a inclusão efetiva das pessoas com deficiência intelectual.
 
 
Exposição “Arte Inclusiva”
 
Os trabalhos artísticos dos usuários das APAES do Estado de São Paulo, que foram apresentados durante o Festival Estadual Nossa Arte, ficarão expostos no Memorial da Inclusão, que fica na Secretaria, durante todo o mês de setembro.
 
Várias outras atividades estão previstas em todo o Estado de São Paulo. A programação será divulgada na cerimônia de abertura, no dia 1º.
 
 
SERVIÇO
Lançamento oficial do “Setembro Verde”
Data: 1º de setembro de 2016
Horário: 12h30

II Balanço Geral do Programa Estadual de Atendimento à Pessoa com Deficiência Intelectual
Horário: 15h 
Informações do evento anterior: http://peapdi.sedpcd.sp.gov.br

Abertura da exposição “Arte Inclusiva” 
Horário: 17h30

Local: Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência
Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564 - Portão 10 - Barra Funda - São Paulo – SP (próximo da estação de trem e metrô Barra Funda)

Confirme sua presença até 18 de agosto: institucional@feapaesp.org.br
 
Entrada gratuita


Fonte: http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/ultimas-noticias/setembro-verde-destaca-o-mes-da-inclusao-das-pessoas-com-deficiencia




SECRETARIA DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACESSÍVEL EM LIBRAS

SECRETARIA DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACESSÍVEL EM LIBRAS


Agora o site SECRETARIA DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO está mais acessível ainda!

Com o Hand Talk disponível no site, é possível conferir todo o conteúdo em Libras!

Descrição da imagem: em fundo branco, o desenho de um homem de cabelos pretos, usando óculos, olhos escuros, vestido com uma camisa branca e gravata azul clara, está com seu braço direito levantado e os dedos polegar, indicador e mindinho esticados. no canto superior esquerdo da imagem existe um balão laranja com a inscrição Inclusão SP. No meio do lado esquerdo da imagem existe as palavras "Acessível em Libras", na cor laranja. No canto inferior esquerdo da imagem, existe um balão de fundo laranja e no centro um desenho de uma mão e ao lado deste balão, a inscrição "hang talk", na cor cinza.

Eleito o melhor aplicativo social do mundo, pela ONU, o Hand Talk traduz conteúdos para a LIBRAS, Língua Brasileira de Sinais, 
o que facilita o acesso pelos surdos à informação publicada no nosso site. Ele está disponível para desk e tablet e em estudo 
para formato mobile (celular).  
 
  
São mais de 300 milhões de surdos no mundo e boa parte não compreende a língua escrita do seu país e depende exclusivamente 
da língua de sinais para se comunicar e obter informação. No Brasil, a acessibilidade em sites está prevista na Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência.
 

Acesse: www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br, escolha a matéria que gostaria de ler e clique no sinalzinho azul de 
Libras, no canto direito da página. 

Fale pra gente o que achou: envie e-mail para comunic@sedpcd.sp.gov.br e expresse sua opinião sobre o Hand Talk em nosso site. 
  
 
Curta e compartilhe #inclusãoSP 
Fonte:http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/

quinta-feira, 7 de julho de 2016

MEMORIAL DA INCLUSÃO RECEBE A EXPOSIÇÃO "BÍBLIA: O LIVRO DA INCLUSÃO"

MEMORIAL DA INCLUSÃO RECEBE A EXPOSIÇÃO "BÍBLIA: O LIVRO DA INCLUSÃO"

Na quarta-feira, 06 de julho, às 19h, o Memorial da Inclusão recebeu a exposição "Bíblia: O livro da inclusão". Fruto de uma parceria com a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), a mostra retrata a importância da disponibilização, em formatos acessíveis para as pessoas com deficiência, do documento religioso mais conhecido no mundo.

Fotografia composta por versões acessíveis da Bíblia Sagrada: braile DVD, áudio e em app de tablet


O Memorial da Inclusão, ação da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, recebe sete instalações que retratam esse que é um dos principais clássicos da literatura religiosa e que marcou todo o patrimônio cultural da humanidade. 
 
A exposição fica no espaço de 07 de julho a 26 de agosto e dentre as instalações, são trabalhadas temáticas sobre a evolução das tecnologias utilizadas para a comunicação do conteúdo bíblico, os projetos realizados pela SBB que abordam a relação das pessoas com deficiência e suas famílias e os programas de acesso à Bíblia, sendo esta disponível em versão braile e em Libras.
 
Além disso, serão apresentados quadros em alto relevo e esculturas táteis de alguns temas da Bíblia produzidos pelo artista Renato Amisy. A exposição conta ainda, com uma tela em branco que fica disponível para o público visitante registrar e expressar suas percepções sobre a mostra.

Nome da obra: Primeiro milagre, o dos vinhos (João 2). Autor: Renato Amisy. Técnica: Escultura em porcelana fria colorida.  Breve descrição: Jesus Cristo em segundo plano e dois jarros em primeiro plano. 

A exposição conta com obras táteis, aparelhos eletrônicos interativos, audiodescrição e impressão dos textos em dupla leitura e com fonte ampliada: português e braile.
 
SERVIÇO
Bíblia: O livro da inclusão
Data de abertura: 
06 de julho – 19h
Data para visitação: de 07 de julho a 26 de agosto
Horário de visita: Segunda a sexta-feira, das 10h às 17h / Sábados, 30/07 e 27/08, das 13h às 17h




quarta-feira, 22 de junho de 2016

Igreja Adventista na América do Sul oficializa ministério para os deficientes visuais

IGREJA ADVENTISTA NA AMÉRICA DO SUL OFICIALIZA MINISTÉRIO PARA OS DEFICIENTES VISUAIS


A iniciativa não nasce como um novo departamento da igreja, mas como um ministério de apoio.

Desde 17 de maio de 2015, a Igreja Adventista conta com um ministério voltado para os cegos. A decisão foi tomada durante a Comissão Diretiva Plenária da Divisão Sul-Americana, que acontece em Brasília (DF).
Amanda, que nasceu sem a visão por causa de glaucoma congênito, considera que o acesso dos deficientes visuais à literatura cristã ainda é bastante limitado no Brasil. “Muitos livros que eu gostaria de ler ainda estão disponíveis apenas na versão escrita”, lamenta. Ao pesquisar materiais alternativos na internet, ela conheceu o projeto Visão Real, formado por voluntários do Unasp, campus São Paulo. A iniciativa surgiu há cerca de sete anos a partir de um Pequeno Grupo composto por cegos. Atualmente, o projeto é responsável por transformar textos escritos em versões de áudio, disponibilizadas em CD. É o que acontece, por exemplo, com a Lição da Escola Sabatina. A cada trimestre são enviados em média 500 CDs para diferentes regiões do Brasil, bem como para outros países, a exemplo dos Estados Unidos e Portugal. A advogada Amanda Stofela é uma das pessoas atendidas pela iniciativa.
Com a oficialização, projetos voltados para a evangelização dos deficientes visuais passam a receber maior atenção da igreja na América do Sul. “Pedimos a colaboração de todos os líderes para nos ajudar a designar pessoas que se preocupem com esse grupo nas mais diferentes regiões”, enfatizou o pastor Erton Köhler, líder da Divisão Sul-Americana.
Dessa forma, o evangelho poderá chegar de maneira mais contextualizada para uma parcela significativa da população. O pastor Edison Choque, responsável pelo departamento de Missão Global, estima que pelo menos 3% dos habitantes nos oito países atendidos pela Divisão Sul-Americana possuam algum tipo de deficiência visual . No caso do Brasil, segundo mostrou o Censo Demográfico 2010, a deficiência visual foi a que mais apareceu entre as respostas dos entrevistados. Mais de 6,5 milhões de pessoas informaram ter dificuldade severa para enxergar. Outras 506 mil declararam ser cegas.
Projeções e desafios
Um dos reflexos da iniciativa deve ser o aumento na produção de materiais para os cegos. Algumas tentativas de tornar o evangelho mais acessível para eles já vêm sendo feitas pela Casa Publicadora Brasileira, que oferece vários livros em áudio – inclusive obras de Ellen G. White, como Caminho a Cristo e O Maior Discurso de Cristo.
Além disso, conforme sugere Amanda Stofela, a igreja também pode produzir estudos bíblicos em áudio ou em outros formatos que possam ser lidos por softwares de apoio aos deficientes visuais, além de melhorar as condições de acessibilidade aos sites das instituições adventistas. “Não precisamos necessariamente imprimir literatura em braile, já que o custo de impressão ainda é bastante caro. Ter mais materiais disponíveis em áudio já seria um passo importante para alcançar mais pessoas com as mensagens bíblicas”, observa Amanda.
O caminho para a inclusão também passa por desafios arquitetônicos. Por isso, nos próximos anos, a igreja deve buscar melhorias no que diz respeito à acessibilidade nas igrejas. [Márcio Tonetti, equipe RA / Com informações de Felipe Lemos e Murilo Pereira, da equipe ASN]
fonte: www.revistaadventista.com.br

terça-feira, 21 de junho de 2016

O MINISTÉRIO DO CEGO, TRABALHO QUE VEM CRESCENDO NA IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA

O MINISTÉRIO DO CEGO, TRABALHO QUE VEM CRESCENDO NA IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA

Escrito por: Roberta Moretti S. Padulla




Segundo informações coletadas no Site de Notícias da Igreja Adventista do Sétimo Dia, foi por volta de 2008, que um grupo de pessoas se organizou:

"Para suprir a necessidade por materiais de estudo e tendo em vista o provável crescimento no número de deficientes visuais vítimas de glaucoma, diabetes ou outros fatores, foi estabelecido o Ministério dos Cegos Adventistas. A iniciativa surgiu de forma voluntária e passou a fazer parte de um dos ministérios da Igreja Adventista do Sétimo Dia do Centro Universitário Adventistas de São Paulo, campus São Paulo, onde há cerca de seis anos teve início um pequeno grupo formado por cegos.
Esse grupo recebeu o nome de Visão Real. Juntos, eles cantam, tocam instrumentos, oram, compartilham pedidos e agradecimentos e ouvem reflexões bíblicas. Todas as atividades das reuniões são realizadas por cegos. Outros dois grupos semelhantes surgiram a partir deste, um na região de Mirandópolis, também na cidade de São Paulo, e outro em Curitiba, na igreja adventista do Portão."(http://noticias.adventistas.org/, 2014)

Os objetivos do Ministério do Cego Adventista são:
Incentivar mais membros e igrejas a identificarem pessoas cegas em suas comunidades;
Assegurar a participação dos cegos na vida comunitária da Igreja;
Desenvolvendo recursos e serviços para facilitar o acesso das pessoas com deficiência visual a Bíblia e as bibliografias adventistas;
- Organizar Pequenos Grupos onde pessoas de diversas denominações religiosas possam se reunir para estudar a Bíblia, incluindo a pessoa com deficiência visual.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

APLICATIVO SERVE COMO GUIA AUDITIVO PARA PESSOA COM DEFICIÊNCIA VISUAL

APLICATIVO SERVE COMO GUIA AUDITIVO PARA PESSOA COM DEFICIÊNCIA VISUAL

Tecnologia está sendo desenvolvida em Criciúma, no Sul de Santa Catarina.

Elisabete Barbosa é uma das primeiras pessoas a fazer uso do Via Voz (Foto: Globo).



Imagine um GPS dentro de uma biblioteca. Em vez de ruas, ele mostra os caminhos entre as prateleiras. Parece coisa do futuro, mas essa tecnologia já existe e serve como guia auditivo para quem tem deficiência visual: é o aplicativo Via Voz, desenvolvido pelo professor Ricardo Fieira, em Criciúma, no Sul de Santa Catarina.
Uma das pioneiras no uso do aplicativo é Elisabete Barbosa, que não enxerga desde que nasceu. Formada em Psicologia pela Universidade do Extremo Sul Catarinense, ela trabalha há quatro anos no setor de Comunicação da Universidade. No dia a dia, para se locomover, além da bengala, ela pede a ajuda de quem estiver por perto. Na biblioteca, porém, o caminho fica um pouco mais fácil porque o local é o primeiro do país a receber o guia auditivo com comandos de voz.
A inspiração para a criação do Via Voz veio de uma colega de curso de Ricardo Fieira, que é deficiente visual. Foi um ano e meio de trabalho até a tecnologia estar totalmente pronta.
— O usuário pode calibrar o aplicativo de acordo com as características dele. Por exemplo, altura, sexo masculino ou feminino, tudo isso é feito através de alguns algoritmos. Com isso, ele faz algumas amostragens e calcula, por exemplo, a distância do passo — explica Ricardo.
Foram instalados sensores em diversos pontos da biblioteca. A partir daí, são desenhadas rotas, como os pisos de orientação no chão, e elas são colocadas dentro do aplicativo. O Via Voz pode ser baixado gratuitamente na entrada da biblioteca. Depois desse teste, a empresa que desenvolveu o aplicativo pretende levar a tecnologia para outros locais.
— Seria bom se tivesse em outros lugares, até mesmo em alguns lugares que gostaria de frequentar, mas que a gente não frequenta tanto justamente porque não tem essa autonomia — diz Elisabete.
Tem dúvidas sobre a reportagem? Quer mandar sugestões ou elogios? Entre em contato através do http://falecomaredeglobo.globo.com.

Fonte: Globo.com.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

O MELHOR JOGADOR DE FUTEBOL DE CEGOS DO MUNDO É BRASILEIRO

O MELHOR JOGADOR DE FUTEBOL DE CEGOS DO MUNDO É BRASILEIRO


ricardinho-jogador-da-selecao-de-futebol-para-cegos
O Brasil não consegue fazer o melhor jogador do mundo no futebol desde 2007, quando Kaká ganhou a Bola de Ouro – Neymar terá uma chance nesta segunda. Mas no futebol de cinco para cegos, o país tem um atleta que já ganhou o prêmio duas vezes e é o atual detentor da coroa. Ele atende pelo nome de Ricardo Steinmetz Alves, ou simplesmente Ricardinho.
ricardinho-o-melhor-do-mundo-no-futebol-de-cego-em-jogo-contra-a-argentina
O gaúcho de 26 anos começou a praticar a modalidade quando tinha apenas dez e rapidamente se transformou em um fenômeno. Em 2006, com apenas 16 anos, foi eleito o melhor do mundo logo em sua primeira participação no Mundial, no qual o Brasil foi vice perdendo para a Argentina. A segunda premiação veio em 2014, quando o Brasil foi campeão mundial. Aquela derrota para os hermanos marcou o último torneio perdido pela seleção. Desde então, venceu tudo o que disputou, inclusive dois ouros em Paraolímpíada, Pequim-2008 e Londres-2012. Este ano, no Rio, tentará o terceiro.
“Até acho que deveríamos ter uma eleição anual (para melhor do mundo), mas ela só acontece a cada quatro anos, quando tem o Mundial. Então, atualmente sou o melhor e espero mantê-lo por muito tempo. E neste ano vamos atrás de mais uma medalha de ouro”, disse o jogador, que veste a camisa 10 do time nacional e já estrelou uma propaganda da Coca-Cola.
Quando criança e ainda vivia em Osório – sua cidade-natal, localizada no litoral do Rio Grande do Sul-, Ricardinho sonhava em ser jogador de futebol, mas o tradicional.
Porém, quando tinha oito anos foi acometido por uma doença chamada toxoplasmose congênita que levou ao deslocamento da retina e à cegueira total. Mudou-se para Porto Alegre para estudar numa escola para deficiente visuais e se arriscou no atletismo e na natação, sem sucesso. Então, começou a praticar o futebol de cinco e aquilo virou uma paixão.
“Meu sonho de ser um jogador de futebol renasceu e deu tudo muito certo. Em apenas seis anos saí do zero para o mais alto nível”, afirmou Ricardinho, que se diz fã de Messi e até acredita ter uma certa semelhança com o craque argentino. Habilidade com a bola no pé não lhe falta.
“Sou grande admirador do Messi por tudo que ele já fez e segue fazendo. Isso que também é um cara que joga muito e fala pouco. Não tem firula, não é marqueteiro. E este é o meu perfil. Me dizem também que ele tem a habilidade e a característica de conduzir a bola muito colada no pé. Isso é muito difíicil de fazer e se assemelha bastante ao que fazemos no futebol de cinco”, disse o atleta, que é torcedor do Internacional.
“Se me dessem a oportunidade de enxergar por um momento, ele seria o jogador que eu gostaria de ver, com certeza. Ele é o mais completo de todos”, completou o melhor do mundo.
Mas na eleição da Bola de Ouro da Fifa, Ricardinho espera que o argentino seja superado por Neymar e o Brasil volte a ter um vencedor.
“Acho que desta vez o Neymar tem um maior merecimento e espero que ganhe. Eu gosto do futebol do Neymar, ele é um gênio. Mas às vezes se excede um pouco”, analisou Ricardinho.
Habilidade não apenas com a bola nos pés
O futebol não é a única paixão de Ricardinho. Quando não está treinando ou jogando, se dedica à música. Toca piano e violão. Agora, junto com amigos da igreja, montou uma banda de rock e em breve gravarão a primeira canção.
“A gente sempre se junta para ensaiar e devemos gravar dentro de pouco tempo. Temos cerca de umas 20 músicas, todas composições minhas. Não gosto que nos rotulem como uma banda gospel, mas são canções que falam de Jesus, de ter paz”, afirmou o craque.
Fonte: olimpiadas.uol.com.br