CONTATO: blog.olhares.especiais@gmail.com

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Pesquisa com usuários de leitores de tela revela preferências e dificuldades do público

WebAIM
07/04/2011

Resultados indicam que uso de atalhos tem diminuído e cresce usuários de leitor de tela para celular

da Redação
Tradução: Cristiana Mello Cerchiari*

Os resultados da terceira pesquisa com usuários de leitores de tela feita pela Webaim foram publicados em
http://webaim.org/projects/screenreadersurvey3/

Os resultados revelam tendências interessantes identificadas nas pesquisas de outubro e de janeiro de 2009, além de informações novas e úteis.

Aqui destacamos:
1 - O JAWS ainda é o leitor mais utilizado, embora venha sendo cada vez com mais freqüência substituído pelo NVDA e pelo VoiceOver.
2 - A “fama” de leitores gratuitos ou de baixo custo (como o NVDA e o VoiceOver) tem aumentado.
3 - O O Java Script estava habilitado em 98,4% dos computadores utilizados pelos participantes da pesquisa.
4 - As expectativas dos participantes da pesquisa quanto ao futuro da acessibilidade na Web são positivas.
5 - Dois terços dos participantes utilizam leitor de tela para o celular, contra 12% registrados há dois anos.
6 - A maioria dos participantes consideram útil o atributo longdesc.
7 - A utilização das redes sociais por parte dos usuários de leitores de tela tem se ampliado, embora ela ainda seja menor que seu uso pelas pessoas sem deficiência.
8 - 12.8% dos participantes fazem uso de programas de ampliação de tela associados aos leitores de tela.
9 - Nas páginas web, a navegação por cabeçalhos tem aumentado, enquanto a utilização dos links “ir direto para” e das teclas de atalho têm sido menos frequente.

* Cristiana Mello Cerchiari, 36 anos, é formada em Letras e trabalha com ensino e tradução de línguas estrangeiras, e informática. Ela é deficiente visual.

Educadoras recebem medalhas de Dilma no Palácio do Planalto

Educadoras recebem medalhas de Dilma no Palácio do Planalto

Autor: MEC
Data: 22/3/2011

O Brasil tem 1,9 milhão de professores em exercício na educação básica. As mulheres representam 81% desse contingente. Nesta segunda-feira, 21, a presidente da República, Dilma Rousseff, prestou homenagem às educadoras brasileiras, em cerimônia no Palácio do Planalto, onde condecorou 11 professoras com a medalha da Ordem Nacional do Mérito.

Esta é a primeira vez que a medalha, em seus 65 anos de existência, é concedida a educadores. Definida pela presidente como prioridade de governo, a elevação dos índices educacionais motivou a homenagem desta segunda-feira, que também integra as comemorações pelo Dia Internacional da Mulher, estendidas a todo o mês de março. “O desenvolvimento de uma Nação não se copia, terceiriza ou delega”, destacou Dilma, referindo-se ao papel da educação para o crescimento sustentável do país. 

As mulheres também são maioria em cursos de educação superior – 60% das concluintes – e entre os bolsistas de cursos de pós-graduação concedidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), onde são mais de 50%. Os números demonstram, segundo a presidente, um movimento histórico. “Estamos observando um salto coletivo da mulher brasileira na sociedade”, afirmou.

Esforço – A cerimônia coroou esforços de professoras de perfis variados, que têm o empenho e comprometimento com a educação como características comuns. Representante das homenageadas, Aurina Oliveira Santana é a primeira mulher negra a assumir a reitoria do Instituto Federal da Bahia.  “Este momento é de reconhecimento do trabalho de base que fazemos”, observou. Tanto as comunidades beneficiadas pelo desempenho das professoras quanto técnicos do Ministério da Educação e de outros órgãos federais estiveram envolvidos na escolha das homenageadas.

Professores terão bolsas para cursos de mestrado profissional a distância

Professores terão bolsas para cursos de mestrado profissional a distância

Autor: MEC
Data: 22/3/2011

O ministro da Educação, Fernando Haddad, anunciou nesta segunda-feira, 21, a concessão de bolsas de mestrado profissional a distância para professores da educação básica que lecionam em escolas públicas. O anúncio foi feito em cerimônia no Palácio do Planalto, onde a presidente da República, Dilma Rousseff, condecorou 11 educadoras com a medalha da Ordem Nacional do Mérito.

Concedidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), no âmbito da Universidade Aberta do Brasil (UAB), as bolsas exigem dos docentes, como contrapartida, o compromisso de continuar em exercício na rede pública por um período de cinco anos após a conclusão do mestrado. A medida, que será formalizada por meio de portaria do Ministério da Educação, a ser publicada no Diário Oficial da União nesta terça-feira, 22, faz parte de um conjunto de ações para elevar a qualidade da educação básica, definida pelo MEC como “área excepcionalmente priorizada”.

Segundo o ministro, a intenção é que as universidades reajam à provocação feita pelo MEC e ofereçam mais cursos. “Queremos garantir o prosseguimento do estudo do professor, agora com mais que uma especialização – com um mestrado”, explicou o ministro. Os docentes poderão acumular a bolsa com seus salários.

A cada mês de março, o benefício será liberado e terá vigência máxima de 24 meses. Existe, também, a possibilidade de concessão de bolsas para mestrados presenciais, desde que em cursos aprovados pela Capes e consideradas algumas situações de interesse específico do Estado.

O não cumprimento do compromisso de cinco anos de exercício em escola pública, após o curso de mestrado a distância, implicará a devolução dos recursos
. As próprias instituições de ensino vão estabelecer seus critérios de seleção. “Nada impede, entretanto, que sejam reservadas vagas para professores que já estejam em exercício”, argumentou Haddad.

Pacote - Além das bolsas, outras iniciativas se destacam quando o assunto é a qualificação de professores da educação básica: a Universidade Aberta do Brasil (UAB) e a expansão das universidades e dos institutos federais. Estes últimos têm, inclusive, uma reserva de vagas para ser suprida em cursos de licenciatura em matemática, física, química e biologia. A preocupação em formar professores nessas áreas também é destacada na portaria que será publicada nesta terça.

Como principal meta de qualidade, o Brasil deve atingir a nota 6 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) até 2021. No ano de sua última aferição, em 2009, a média brasileira era de 4,6, numa escala que vai de zero a dez
.

Fonte: http://www.undime.org.br/htdocs/index.php?id=6540

25º SIMPÓSIO BRASILEIRO E 2º CONGRESSO IBERO-AMERICANO DE POLÍTICAS E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO

O 25º Simpósio Brasileiro e 2º Congresso Ibero-Americano de Política e Administração da Educação, agendados para os dias 26 a 30 de abril de 2011, em São Paulo, se constituem em espaço público internacional para estudar e avaliar políticas e práticas de administração da educação e de formação dos profissionais para o ensino, a pesquisa e a gestão escolar. Contamos com sua participação!

Programa Oficial do Simpósio
Conheça os conferencistas e debatedores em sessão plenária
Universidades Anfitriãs – Endereços
A Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) será sede do Simpósio no seguinte endereço: Rua Monte Alegre 984, Bairro Perdizes, São Paulo. Veja mais.

A Faculdade de Educação da USP sediará as reuniões dos Conselhos da ANPAE no Centro Universitário Maria Antônia, Rua Maria Antônia 294, Bairro Vila Buarque, São Paulo. Veja mais.


 

Inscrições abertas para 3º Concurso Moda Inclusiva

Podem participar estudantes matriculados em instituição de ensino superior ou escola técnica, ou profissionais formados na área de Moda.
 
Está aberto o período para as Inscrições do 3º Concurso Moda Inclusiva. Até o dia 15 de julho de 2011, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência recebe inscrições.  O concurso tem o objetivo de contribuir para uma sociedade mais justa e inclusiva, na qual todos tenham acesso igualitário aos produtos, bens e serviços disponíveis. A finalidade do concurso é promover importante debate sobre moda diferenciada, além de incentivar o surgimento de novas soluções e propostas em relação ao vestuário para as pessoas com deficiência.

O Concurso Moda Inclusiva, realizado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, foi o primeiro realizado no Brasil e, segundo pesquisas, também inédito no âmbito internacional nesse formato. A primeira edição foi na sede da Secretaria, em 2009, e a segunda, no Museu da Língua Portuguesa, em 2010, ambos em São Paulo.

A Comissão Julgadora selecionará os 20 melhores trabalhos, que participarão da segunda fase do concurso. Os 20 looks selecionados pela Comissão Julgadora serão apresentados ao Corpo de Jurados no momento do desfile. Os critérios pelos quais os trabalhos serão avaliados são:

(I) adequação ao tema;
(II) pesquisa, desenvolvimento e inovação;
(III) criatividade;
(IV) estilo e linguagem de moda; e
(V) ficha técnica.

O projeto Moda Inclusiva estimulou a criatividade de vários grupos, entre estudantes, professores e pessoas com deficiência, além de fomentar um mercado com foco na ergonomia e estender a questão da deficiência para diversos setores da sociedade, propondo uma reflexão comportamental, bem como uma moda influenciada pela diversidade com design inspirado na ótica do Desenho Universal. O Desenho Universal é uma resposta ao movimento da sociedade, que busca eficiência e funcionalidade para todos os indivíduos ao longo dos ciclos da vida, um fator decisivo quando o objetivo é a construção de uma sociedade para todos que prioriza a eliminação de barreiras arquitetônicas, ambientais e estéticas.

Inscrições
Podem participar estudantes matriculados em instituição de ensino superior ou escola técnica, ou profissionais formados na área de Moda. Cada participante poderá concorrer com apenas um número de inscrição, que lhe dará direito apresentar até três trabalhos (looks).
Para concorrer, os participantes deverão preencher a ficha de inscrição no hotsite: http://www.sedpcd.sp.gov.br/modainclusiva/inscricao.php e enviar  um "look" (croqui e ficha técnica) para a sede da Secretaria (Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564, portão 10, Barra Funda - São Paulo - SP - CEP: 01156.001).

AgendaConcurso Moda Inclusiva

Inscrições para o concurso
: até 15/07/2011
Entrega dos trabalhos: até 25/07/2011
Divulgação dos 20 finalistas selecionados: 01/08/2011
Realização do desfile: Local e Data serão informados em breve. Aguarde.

Isenção e redução da taxa do Vestibular das Fatecs

Começam dia 6 as inscrições para isenção e redução da taxa do Vestibular das Fatecs

A partir desta quarta-feira, 6 de abril, estarão abertas as inscrições para isenção total e redução de 50% na taxa de inscrição para o Vestibular das Faculdades de Tecnologia (Fatecs) do Estado de São Paulo para o 2º semestre de 2011.  Serão oferecidas seis mil isenções.

Os candidatos podem pleitear os dois benefícios, desde que atendam aos requisitos determinados para cada finalidade. Neste caso, devem efetuar duas inscrições.

O período de inscrição vai até 15 de abril. No último dia, o prazo termina às 15 horas. Os interessados deverão preencher o formulário específico que estará disponível no sitewww.vestibularfatec.com.br. Após o preenchimento do formulário, é preciso guardar o número do protocolo, que deverá constar do envelope que vai conter os documentos comprobatórios.

De 6 a 15 de abril, das 13 às 19 horas (somente nos dias úteis), o candidato deverá entregar os documentos comprobatórios, relacionados abaixo, em um envelope lacrado, na secretaria da Fatec em que pretende estudar.

No momento da entrega do envelope - que deve constar o número do protocolo -, o candidato precisa preencher, assinar e entregar o requerimento de solicitação de isenção/redução da taxa, que será fornecido pela secretaria da Fatec. Este documento também estará disponível no sitewww.vestibularfatec.com.br, na seção "isenção/redução". A resposta à solicitação será divulgada no dia 2 de maio somente pela internet.

Requisitos para isenção

O candidato precisa ter concluído integralmente, até o ano de 2010, o Ensino Médio ou a Educação de Jovens e Adultos - EJA (supletivo) em escolas da rede pública (municipal, estadual ou federal) ou em instituição particular com concessão de bolsa de estudo integral. Além disso, é necessário ter renda familiar bruta mensal máxima de R$ 545 (por pessoa). Se o candidato for independente, sua renda bruta máxima deverá ser nesse mesmo valor. O candidato também deve residir no Estado de São Paulo.

Documentos necessários
A - cópia simples do histórico escolar ou de declaração escolar da instituição de ensino, comprovando que cursou integralmente o Ensino Médio em escolas da rede pública. Em caso de ter cursado o Ensino Médio, parcial ou integralmente, em rede particular, com bolsa de estudo integral, é necessário anexar o documento da escola que comprove a situação, identificando o período em que se deu a concessão. O candidato que cursou o equivalente ao Ensino Médio no exterior, totalmente ou em parte, deve apresentar parecer de equivalência de estudos emitido pela Secretaria Estadual de Educação.
B - Cópia simples do comprovante de rendimento de todos os integrantes que compõem a renda familiar bruta mensal que residam no mesmo endereço do candidato. Os trabalhadores do comércio informal devem fazer uma declaração por escrito, especificando seu rendimento mensal, com assinatura de duas testemunhas que não sejam parentes do candidato ou de quem se está comprovando a renda, com RG e endereço. O candidato que estiver desempregado deve declarar por escrito essa condição, conforme modelo disponível no site, ou anexar xerocópia das folhas de rosto da carteira profissional e da rescisão de contrato ou similar.
C - Cópia simples de comprovante de residência recente, de algum mês de 2011 (como por exemplo, conta de água, energia elétrica ou comprovante de IPTU).

Requisitos para redução da taxa

É preciso ser estudante regularmente matriculado em curso pré-vestibular ou em curso superior de graduação ou de pós-graduação. O interessado deve, também, ter uma remuneração mensal inferior a dois salários mínimos(R$ 1.090) ou estar desempregado.


Documentos necessários
A -Certidão ou declaração expedida por instituição de ensino, em papel timbrado, assinada e com carimbo do responsável, que comprove sua condição estudantil.
B - Comprovante de rendimento: contracheque (recibo, holerite, etc de algum mês do ano de 2011)  para que estiver empregado; o candidato que for trabalhador informal, eventual, deve apresentar declaração  especificando a remuneração mensal com assinatura de duas testemunhas que não sejam parentes até o 3º grau, com RG e endereço. Quem estiver desempregado deve declarar sua condição por escrito, conforme modelo no sitewww.vestibularfatec.com.br, ou anexar xerocópia das folhas de rosto da carteira profissional e da rescisão de contrato ou similar.


Inscrições para o Vestibular - 2º semestre de 2011


Entre os dias 2 de maio e 8 de junho, o candidato que receber um dos benefícios deve fazer sua inscrição para o processo seletivo em um único curso de graduação na  Fatec de sua escolha. A inscrição será, exclusivamente pela internet, no sitewww.vestibularfatec.com.br. O Manual do Candidato também estará disponível para download gratuito neste site

O valor da taxa de inscrição para o Vestibular é R$ 70.


Outras informações pelos telefones (11) 3471-4103 (Capital e Grande São Paulo) e 0800-596 9696 (demais localidades) ou pelo site www.vestibularfatec.com.br 

Inscrições abertas UNESP - Mestrado e Doutorado

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA PROGRAMA DE MESTRADO E DOUTORADO NA UNESP 2012

Faculdade de Ciências e Letras da UNESP - Campus de Araraquara
Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar
EDITAL 2011/2012
Seleção 2011 para ingresso em 2012

INSCRIÇÕES   (Mestrado e Doutorado): 01 a 08/04
PROVA ESCRITA (Mestrado e Doutorado): 07/05
ENTREVISTAS (Mestrado): 06 a 10/06
ENTREVISTAS (Doutorado): 30/05 a 03/06

Vagas, documentos e demais informações estão disponíveis no edital completo: http://master.fclar.unesp.br/Home/Pos-Graduacao/StrictoSensu/EducacaoEscolar/Edital%202011.pdf

Linhas de Pesquisas
1. Sexualidade, cultura e educação sexual
Esta linha de pesquisa tem por objetivo investigar questões de sexualidade e educação sexual em suas interfaces com campos específicos do conhecimento (Educação, História, Sócio-antropologia, Psicologia, Psicanálise e Saúde) em espaços sociais e educacionais em que atitudes, comportamentos e valores sexuais se manifestam; e formar pesquisadores na área da Sexualidade e da Educação Sexual. Aglutina projetos que contribuam para: a) a compreensão da relação cultura - sexualidade - educação escolar; b) o desenvolvimento de uma historiografia da educação sexual no Brasil; c) a institucionalização dos saberes sexuais; d) a produção de conhecimento sobre a interdisciplinaridade existente nas ações e estudos no campo da sexualidade e da educação sexual; e) sistematização de estudos e propostas para ações contra a violência sexual, a discriminação de gênero e a homofobia; f) a formação de professores e outros profissionais que necessitam de conhecimento teórico e prático para lidar com a especificidade das questões e situações envolvendo sexo e sexualidade.

2. Formação do professor, trabalho docente e práticas pedagógicas
A linha de pesquisa "Formação do Professor, Trabalho Docente e Práticas Pedagógicas" reúne estudos e investigações direcionadas à formação de professores, focalizando os diferentes momentos de seu desenvolvimento profissional, bem como as características das instituições dos diversos níveis de ensino nos quais esses profissionais se formam e atuam. Essa linha inclui pesquisas voltadas para a vida e trabalho do professor, concepções, pressupostos, saberes e características de práticas pedagógicas, análise de modelos/materiais didáticos e pesquisas relacionadas ao ensino de componentes curriculares. Pretende-se que o conjunto dessas investigações realizadas por diversos aportes teóricos - contribua tanto para ampliar a compreensão sobre formação, trabalho e práticas pedagógicas de professores quanto para fornecer bases que propiciem a produção de alternativas de ação voltadas para as respectivas finalidades.
Docentes da Linha
3. Teorias Pedagógicas, Trabalho Educativo e Sociedade
Esta linha reúne pesquisas que analisam o trabalho educativo e as teorias pedagógicas a partir do pressuposto de que a educação escolar,como parte da totalidade capitalista, constitui-se, portanto, num processo contraditório de humanização e alienação. As complexas mediações que conectam o trabalho educativo às várias esferas do ser social são objeto das investigações realizadas nesta linha, por meio de estudos que abordam, entre outros temas, a história do pensamento pedagógico, as teorias pedagógicas contemporâneas, os fundamentos teóricos das práticas educativas, os vínculos entre políticas educacionais e ideários pedagógicos e as lutas ideológicas implícitas aos debates travados no campo da educação escolar em seus diferentes níveis.

4. Estudos históricos, filosóficos e antropológicos sobre escola e cultura
Esta linha reúne estudos ancorados em referencial teórico-metodológico originário das áreas de História, Filosofia e Antropologia que contribuem para a produção de conhecimento sobre a escola e a cultura nela instituída. Contempla estudos sobre a história das instituições educativas, a cultura material e visual da escola articuladas ao currículo, aos saberes pedagógicos, às práticas, à tecnologia e aos processos de inovação educacional. Aglutina projetos que analisam as proposições doutrinárias sobre a educação a fim de verificar as diferentes estratégias desencadeadas para sua difusão e implementação, focalizando os processos de produção, circulação e apropriação de modelos pedagógicos. A relação cultura e escola é investigada também nos estudos sobre o ensino de filosofia na educação das crianças e na formação de professores, e as relações entre filosofia e literatura. Contempla ainda pesquisas que analisam a relação entre cultura, organização e educação desenvolvidas no enfoque da antropologia do imaginário e a problemática do cotidiano em etnografias de escola. Essas abordagens confluem para a construção de interpretações que permitem analisar a escola como instituição portadora e produtora de cultura e sua inserção no ambiente cultural mais amplo.

5. Política e Gestão Educacional
Esta linha reúne pesquisas relacionadas aos pressupostos históricos, políticos, sociais e organizacionais de instituições, sistemas e níveis educacionais, considerando as concepções e teorias da educação escolarizada, como referenciais do Estado Moderno. O estudo das amplas relações que se dão nos âmbitos educacionais permite, entre outros, o avanço do conhecimento dos sistemas e níveis de ensino bem como sua crítica e avaliação, favorecendo a análise do planejamento, elaboração e implementação de projetos educacionais e a busca de novas proposições para a melhoria do ensino nos diferentes níveis. As pesquisas desta linha pretendem contribuir para a formação de docentes e de investigadores na análise e avaliação de programas e projetos, bem como de formação de políticas e arranjos institucionais.

MESTRADO
A seleção de candidatos ao Mestrado será realizada em três etapas:
A primeira etapa, de caráter eliminatório, constará de duas fases:
a) prova dissertativa com tema referente à área educacional;
b) Avaliação do projeto de pesquisa e do Curriculum Lattes, apresentados pelos candidatos.
Na segunda etapa, cada candidato aprovado na etapa precedente será submetido a entrevistas com os 3 orientadores por ele indicados (por banca ou individualmente). Nas entrevistas serão considerados os dados do Curriculum Lattes e do projeto de pesquisa.
Na terceira etapa, o conjunto dos orientadores analisará os resultados das etapas anteriores e apontará os selecionados para o ingresso no nosso programa de mestrado a partir de 2012.

DOUTORADO
A seleção de candidatos ao doutorado será realizada em quatro etapas:
Na primeira etapa, será aplicada aos candidatos uma prova dissertativa com tema referente à área educacional. A prova de cada candidato será anexada ao seu conjunto de documentos para análise a ser feita na etapa seguinte.
Na segunda etapa, de caráter eliminatório, os professores que oferecem vagas de orientação avaliarão os documentos apresentados pelos candidatos.
Na terceira etapa, cada candidato aprovado na etapa precedente será submetido a entrevistas, com os 3 orientadores por ele indicados (por banca ou individualmente). Nas entrevistas serão considerados os dados do Curriculum Lates e do projeto de pesquisa.
Na quarta etapa, o conjunto de orientadores analisará os resultados das etapas anteriores e indicará os selecionados para ingressarem no doutorado a partir de 2012.

ATENÇÃO
O exame de proficiência em língua estrangeira será realizado durante o primeiro ano do curso.

As inscrições serão feitas somente pela internet.
Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara
Endereço: Rodovia Araraquara - Jaú, km 1 - Caixa Postal 174.
CEP: 14.800-901 - Araraquara - SP
Telefone: (0XX16) 3301-6212/3301-6242
Home Page http://www.fclar.unesp.br/pos
E-mail: spg@fclar.unesp.br

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Secretaria apresenta dicas para Bibliotecas Acessíveis

Secretaria apresenta dicas para Bibliotecas Acessíveis



Além da eliminação ou superação das barreiras arquitetônicas conhecidas, envolvendo rampas, elevadores, guarda-corpos, pisos não escorregadios e espaçamento adequado às cadeiras de rodas, neste século XXI as bibliotecas públicas têm a obrigação de se adequar ao desenho universal, ou seja, atender a todas as pessoas, independente de idade, sexo ou eventual deficiência, seja ela física, sensorial ou múltipla.
É muito comum alguém questionar o que um cego faria em uma biblioteca pública, com milhares de livros em estantes que jamais poderia ler, ou um tetraplégico, que não poderia folheá-los e que ficaria até constrangido se alguém ficasse lendo para ele em voz alta em local onde há maior necessidade do silêncio. O que dizer, então, das pessoas surdocegas, estimadas pela sua principal entidade representativa em aproximadamente quinhentas só no Estado de São Paulo? E os idosos que já não conseguem ler por problemas de visão mas ainda não aceitaram essa condição? E os disléxicos, aqueles com distúrbio na capacidade de leitura ou interpretação de signos escritos?  Ou ainda, o que um analfabeto faria em uma biblioteca?
Enfim, com as atuais tecnologias, todas essas pessoas também podem ser incorporadas ao público das bibliotecas, cabendo aos seus responsáveis procurar o melhor custo-benefício. Recomendamos:
1)    Escâner para leitura de livros e publicações em geral, com emissão imediata de voz e possibilidade de gravação em áudio ou em diferentes formatos. Dispõe de OCR (sigla em inglês para reconhecimento de carácter óptico) e quando acoplado ao computador, permite também a ampliação das fontes do texto escaneado. Ideal para pessoas cegas, idosas, disléxicas e até iletradas, que poderão ouvir textos emitidos por voz agradável, com controle de velocidade e recursos como a soletração das palavras, ou ainda daquelas com baixa visão, que poderão ampliar os caracteres na tela do computador.
2)    Linha Braile, que consiste em uma régua perfurada por pequenos pinos que, quando levantados, formam um texto em braile a partir da sua conexão ao computador ou ao escâner. Destinada às pessoas que preferem o Braile (cerca de 10% das pessoas cegas) ou surdocegos, que não tem outra opção de leitura além do braile.
3)    Software leitor de tela para computador. Permite a audição de todos os textos contidos em formato digital incluindo Internet, arquivos de texto e planilhas, desde que não tenham sido gravados em "formatos fotográficos". Há no mercado até softwares gratuitos, mas sem tantos recursos.
4)    Ampliador de Imagem, dispondo de diversos recursos para que uma pessoa com baixa visão possa ler os textos ampliados em tela de computador. Embora com menos recursos específicos, pode ser substituído por escâner com emissão de voz.
"É possível tornar uma biblioteca acessível"
Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência

Coordenadoria de Desenvolvimento de Programas

Conselho Estadual realiza XV Seminário Estadual da Pessoa com Deficiência

Conselho Estadual realiza XV Seminário Estadual da Pessoa com Deficiência


O Conselho Estadual para Assuntos da Pessoa com Deficiência - CEAPcD, está se preparando para realizar no dia 12 de maio, o XV SEMINARIO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIENCIA, ocasião em que, em pleito eleitoral, serão eleitos os membros da sociedade civil que o comporão no próximo mandato, gestão 2011/2013.
Os 10 Núcleos Regionais começam os Encontros Regionais a partir do dia 01 de setembro de 2010 até dia 06 de março de 2011, elegendo seus representantes.  No encontro, o Núcleo escolhe dentre as lideranças locais 6 (seis) representantes, sendo 3 (três) representantes das entidades "DE" e 3 (três) das entidades "PARA", que iram concorrer no Seminário Estadual à vaga de Conselheiro Estadual, além de elegeram, também,  o Grupo Coordenador do Núcleo regional. 
Dos 60 (sessenta) delegados eleitos entre setembro e março nas reuniões dos 10 (dez) Núcleos, 20 (vinte) serão selecionados como membros titulares do Conselho, enquanto outros dez serão suplentes, eleitos no Seminário Estadual.  
Os membros eleitos do Conselho terão a responsabilidade de manterem contato freqüente e participação ativa nas reuniões periódicas de seu núcleo, bem como nas plenárias do Conselho, ouvindo e encaminhando as sugestões da sua região.

Simpósio em comemoração aos 50 anos da APAE de São Paulo - Cérebro e Deficiência Intelectual

Simpósio em comemoração aos 50 anos da APAE de São Paulo - Cérebro e Deficiência Intelectual


Para comemorar os 50 anos da APAE de São Paulo, o Instituto APAE de São Paulo reuniu algumas das maiores especialistas do país em um evento exclusivo para falar sobre cérebro e Deficiência Intelectual.
Objetivos: 
Levar informação atualizada sobre o panorama geral da deficiência no Brasil e no mundo para os diversos agentes da sociedade, fomentar reflexões sobre o tema e seus prognósticos de saúde e inclusão social para a melhoria das condições da vida dos cidadãos assistidos com Deficiência Intelectual.
Público Alvo: 
acadêmicos, médicos, cientistas, pesquisadores, estudantes, sociedade em geral.
Data:6 de abril de 2011
Local: 
Auditório da Secretaria Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência
Endereço: Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 564 - Portão 10 - Barra Funda - SP (ao lado das estações Metrô/CPTM)

Programação do evento:


14h - Abertura Oficial 
14h30 -
 Dr. Esper Abrão Cavalheiro
Professor do Departamento de Neurologia e Neurocirurgia da Escola Paulista de Medicina/UNIFESP e Presidente do Conselho Científico da APAE DE SÃO PAULO.
15h Palestra:  "Pesquisas com células-tronco: presente e futuro" - Dra. Mayana Zatz - Professora titular de Genética do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP) e coordenadora do Centro de Estudos do Genoma Humano e do Instituto Nacional de Células-Tronco em Doenças Genéticas.

15h50 - Intervalo/Café
16h20 - Palestra: "O Cérebro de Cada Dia: A Neurociência da Vida Cotidiana"  - Dra.Suzana Herculano-Houzel - Professora adjunta da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e membro do corpo editorial da Revista Neurociências, apresentadora e roteirista da Rede Globo de Televisão.
17h10 - Palestra: "Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Deficiência Intelectual"  - Dra. Ana Lúcia Gazzola 
Secretária de Estado de Educação de Minas Gerais e Ex-reitora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
18h - Encerramento
18h30 - Coquetel
Informações e Inscrições: 
instituto@apaesp.org.br
Tel: (11) 5080-7061 ou 5080-7007

Cientistas descobrem 5 genes relacionados ao Alzheimer

Estadão
04/04/2011

Descoberta dobra o número de genes conhecidos que influenciam no distúrbio

da Redação
Um grupo internacional de cientistas anunciou neste domingo a descoberta de cinco genes relacionados ao início do mal de Alzheimer, dobrando o número de variantes genéticas conhecidas que favorecem o surgimento da forma mais comum da doença. A descoberta, publicada no jornal Nature Genetics, pode fornecer pistas para as causas da complexa e incurável enfermidade, além de ajudar os médicos a prever casos de maior risco, segundo os cientistas.

No maior dos estudos realizados até o momento, cerca de 300 cientistas de dois consórcios sequenciaram os genomas de 54 mil pessoas - algumas afetadas pela enfermidade, outras não - para trazer à tona as novas variações genéticas identificadas. Os dois projetos começaram independentemente, mas depois trocaram seus dados, permitindo que cada grupo confirmasse as descobertas gerais.

Segundo o principal idealizador de um dos estudos, o pesquisador Gerard Schellenberg, da Escola de Medicina da Universidade da Pensilvânia, "antes dessas pesquisas, havia cinco genes de 'início tardio' aceitos". Por e-mail, ele disse que "agora, há mais cinco: MS4A, ABCA7, CD33, EPHA1 e CD2AP". Cerca de 90% dos casos de Alzheimer são os chamados de "início tardio", isto é, que afetam pessoas com mais de 65 anos. A probabilidade de desenvolvimento dessa forma da doença dobra a cada cinco anos.

Schellenberg explicou que a identificação das partes do DNA que contribuem para o mal de Alzheimer aumenta "nosso entendimento do papel da hereditariedade neste início", acrescentando que outros genes certamente ainda terão de ser descobertos. Mas Schellenberg disse que a maior contribuição será na compreensão dos mecanismos por trás das causas do Alzheimer. "Esses genes destacam novos caminhos essenciais para o processo da doença."

O último objetivo, segundo Schellenberg, é criar medicamentos que possam interromper ou até evitar o progresso da doença. Para isso, "biólogos moleculares que trabalham nos mecanismos da doença agora precisam descobrir exatamente como esses genes se ligam ao processo do Alzheimer". Os tratamentos atuais são apenas "marginalmente eficientes" ao mascarar sintomas ou desacelerar o avanço inevitável da enfermidade, de acordo com Schellenberg.

O mal de Alzheimer afeta 13% das pessoas com mais de 65 anos no mundo e até 50% dos idosos com mais de 85 anos. Especialistas estimam que, conforme as populações dos países ricos envelhecerem, o número de afetados no mundo deve dobrar para mais de 65 milhões até 2030. As informações são da Dow Jones.

MEC nega fim de escolas especiais para deficientes no Rio

Jornal do Brasil
Rio de Janeiro - RJ, 04/04/2011

A polêmica começou em março, depois que o IBC e Ines foram informados pela diretora de Políticas de Educação Especial, Martinha Clarete, que os alunos seriam transferidos para redes públicas, seguindo a política de inclusão

da Redação
O Ministério da Educação (MEC) negou na última sexta-feira, por meio do microblog Twitter, que vá encerrar no fim do ano as aulas de duas instituições federais especializadas para deficientes visuais e auditivos no Rio de Janeiro.
Na mensagem o MEC garante que não há nenhuma intenção de fechar os institutos Nacional de Educação de Surdos (Ines), em Laranjeiras, e Benjamin Constant (IBC), na Urca, ambos na zona sul. A nota informa também que o ministro Fernando Haddad se reunirá com a direção dos dois institutos para esclarecer o mal-entendido.
A polêmica começou em meados de março, depois que representantes do IBC e do Ines foram informados pela diretora de Políticas de Educação Especial, Martinha Clarete, que os alunos do ensino básico (educação infantil e ensino fundamental) seriam transferidos para as redes estadual e municipal no ano que vem, seguindo a política de inclusão. Para esclarecer o assunto, o ministro marcou uma reunião, em Brasília, na próxima terça-feira, às 11h30, com representantes dos dois institutos.
O Ines recebe cerca de 500 alunos, do maternal até o 3º ano do ensino médio. O Instituto Benjamin Constant tem mais de 300 alunos do 1º ao 9º ano do ensino fundamental. A chefe de gabinete do Benjamin Constant, Maria da Glória Souza de Almeida disse que as instituições especializadas não segregam e sim oferecem ensino de qualidade para aqueles que têm necessidades especiais. "É muito complicado tratar de crianças cegas numa sala inchada com 30, 40 alunos, em que um professor não sabe braille".
Mãe de um jovem com deficiência auditiva, Maria Inês dos Santos disse que o filho estudava em escola pública e só aprendeu a ler e escrever depois que foi para uma escola especial. "Os professores de escolas públicas não estão preparados para receber esse tipo de aluno. A grande maioria não sabe braille nem LIBRAS e não tÊm treinamento para lidar com essas crianças. Muitos deixam esses meninos num canto por achar que, sendo surdos ou cegos, eles não vão aprender nada mesmo, como já ouvi de um professor".
Maria Inês discorda que esse tipo de escola seja segregacionista. "Meu filho circula livremente entre os dois mundos, dos ouvintes e dos surdos. Hoje ele está com 26 anos, tem um ótimo emprego e se relaciona bem com todos. Defendo uma escola pública de qualidade para todos e também as especializadas. Uma coisa não exclui a outra".
A prefeitura do Rio iniciou a contratação de intérpretes de braille e de LIBRAS nas escolas para atender a esse público que, segundo a Secretaria Municipal de Educação, é de 4.508 alunos, incluídos em classes regulares. Ao todo o município atende a quase 10 mil alunos deficientes.
No entanto, Maria Inês acredita que o próprio professor deveria saber as línguas em vez de contar com intérpretes. "Na escola aqui perto de casa, por exemplo, há apenas um intérprete na parte da tarde para atender todas as turmas. Um aluno cego ou surdo que estude na parte da manhã não tem esse tipo de auxílio".

VIVÊNCIA CORPORAL ATRAVÉS DA EUTONIA E DANÇATERAPIA

VIVÊNCIA CORPORAL ATRAVÉS DA EUTONIA E DANÇATERAPIA



Imerso nos braços da Serra do Itapety o grupo será conduzido ao trabalho de desbloqueio de tensões das articulações com consciência do corpo em movimento. O elemento água será simbolicamente manejado pelos fluxos e líquidos do corpo, permitindo ao indivíduo tomar contato e exteriorizar a expressão de seus sentimentos. Nas refeições incluídas como café de recepção, almoço e chá da tarde o cardápio oferece alimentos também ligados à água. Nessa alquimia de transformações o que era potência se torna dança... e por isso vida!

Responsável: Profª Ms. FERNANDA MORETTI Pereira de Faria, 
É bailarina, dançaterapeuta e eutonista. Ex-professora de Técnicas de Dança, Evolução da Dança e Corpo e Movimento da Universidade de São Paulo, foi bolsista da Fundação Rotária em Bruxelas, Bélgica em 1998 e especializou-se em Dinâmicas Corporais Expressivas e Terapêuticas pela Faculdade SENAC/SP em 2003. Atualmente atua como terapeuta corporal (eutonista), dirige e leciona dança contemporânea, dançaterapia e eutonia em sua própria escola Projeto Dançar em Mogi das Cruzes e é mestre em Artes pela Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Artes desde 1997 e de Artes em Educação desde 2002, com ênfase em Corpo e Movimento e Artes Corporais, atuando principalmente nos seguintes temas: preparação corporal para bailarinos e atores, voz e movimento, coreografias, direção de espetáculos e arte-educação.

INSCRIÇÕES E PAGTO POR E-MAIL (fermoretti@yahoo.com) ATÉ 10/04.

LocalizaçãoEstânica Suindara, Serra do Itapety
a 50 km de São Paulo, 7 km do centro de Mogi.
Mogi Das Cruzes, SP, Brazil

Data/horáriodomingo, 17 de abril · 09:00 - 17:00